Neste artigo, a equipe da FZ3 fala sobre as diferenças dos conceitos de empregado ou colaborador profissional. Confira!

Conforme o tempo avança, as dinâmicas da sociedade evoluem, e isto não seria diferente dentro do âmbito profissional. Antigamente, a relação de um chefe e funcionários era, majoritariamente, baseada na hierarquização e verticalidade de funções. Hoje, com a crescente conscientização e valorização humano profissional, muitas empresas têm adotado a prática da horizontalização de cargos, visando, acima de tudo, a integração de uma equipe. O antigo “empregado”, subordinado a um superior, hoje toma as vestes de um “contribuinte”, encarado de modo igualitário.

Tal fenômeno ocorre devido ao atual processo de mudança enfrentando pelo mundo corporativo, por meio do qual as relações de trabalho se transformam, ganhando um viés de igualdade e colaboração mútua. Além disso, os indivíduos, enquanto profissionais, também têm se tornado cada vez mais exigentes e atentos quanto ao modo que são tratados perante seus superiores. Isto é, se são motivados e incentivador ou meramente subjulgados. Este senso crítico faz com que o trato para com a atual geração profissional saia da zona de conforto de muitos líderes, instaurada há anos.

Por fim, este tipo de mudança é altamente benéfica para o desenvolvimento humano, social e corporativo, pois dignifica e dá margem para debates a respeito da valorização profissional.