Leia o artigo na íntegra da equipe da FZ3 e entenda quais os benefícios e como treinar sem custo uma equipe profissional.

Muito rica a matéria “Nunca custa treinar”, publicada na Exame PME e escrita por Fabrício Marques. De maneira objetiva, mostra “sete ideias para capacitar os funcionários e melhorar o desempenho deles sem gastar nada”. Vamos a elas, com a descrição e interpretação da FZ3 para cada uma.

1) Rotação de Funções: Nada como um mesmo colaborador passar por outras áreas da empresa. Principalmente, aquelas que terão interação com sua função. Por exemplo, um vendedor vivenciar a realidade da produção e entender bem os processos e prazos;

2) Palestras de Funcionários: É “dando que se recebe”. Estimular que cada colaborador compartilhe seus conhecimentos e aptidões. Por exemplo, por que não pegar o profissional que é fera em excel e estimulá-lo a dividir com demais que precisam muito da ferramenta para o sucesso da empresa? Na Era do Conhecimento, segundo a doutora Marisa Eboli, referência em Universidade Corporativa, o eixo central do progresso e competição provém da capacidade intelectual do ser humano. Nessa dica é importante você pensar em brindes criativos para encantar seu pessoal.

3) Grupos de Estudos: Outra forma eficaz é criar grupos de discussão sobre diversos temas. Por exemplo, na matéria da Exame, é citado um escritório de advocacia especializado em tributário que realiza essa prática. Todas as terças, 18 advogados e dez estagiários da empresa se dividem em grupos de discussão, coordenados pelos sócios, para debater pontos da legislação tributária.

4) Programa de Mentores: Prática já usada por empresas reconhecidas pela qualidade na formação de liderança. Ela permite desenvolver funcionários e a manter na empresa os mais talentosos. Normalmente, os mais experientes tornam-se mentores dos mais jovens, com a criação de metas e acompanhamento de resultados.

5) Treinamento com Parceiros: Uma maneira de permitir que todos os agentes que influenciam os resultados da sua empresa estejam motivados e preparados para o bom funcionamento de toda a cadeia. Por exemplo, a General Eletric oferece treinamento para os profissionais da área de compra de uma empresa aeronáutica, cliente de suas turbinas. Quanto mais preparados os compradores estiverem, mais eficaz pode ser o processo de contratação de equipamentos e serviços correlatos da General Eletric.

6) Visitas a Empresas: O guru Ram Charan, autor de diversos best-sellers, na matéria “Olhos de Águia”, publicada na HSM Management de novembro/dezembro de 2006, para ter êxito nos negócios é preciso “avaliar com perspicácia o cenário externo, relacionar isso com uma ideia clara sobre como ganhar dinheiro e executar a estratégia”. Ou seja, visitar empresas de um mesmo setor pode ajudar a identificar tendências e boas práticas.

7) Supervisão dos Novatos: Uma ótima dica para empresas que não podem parar completamente sua operação para treinar novos funcionário. Normalmente, os mais experientes mostram como executar as atividades importantes da função. Por exemplo, muitas redes de restaurantes usam essa tática. O novo funcionário acompanha o atendimento, vendo a postura, linguagem e os procedimentos corretos para tirar o pedido.